Publicado em Pânico, Sindrome do Panico

E POR FALAR EM MEDO…


  MEDO OU FOBIA?

 (Como surge?)

O medo é uma resposta natural do organismo a um evento aversivo e faz parte de uma história de aprendizado. Você já reparou que as crianças e os animais novinhos não sentem medo? Eles comecam a sentir medo a partir do momento em que sao expostos a uma situação que lhes causa sofrimento, desconforto ou que os adultos lhe passem os modelos O medo é desenvolvido na interação do indivíduo com seu ambiente. Mas, e ruim sentir medo? – Não! O medo faz parte da preservação da espécie; e uma proteção. Se não sentimos medo, não sobrevivemos pois ficamos expostos a todos os eventos de risco. O medo prepara o organismo para se defender ou atacar, seguindo uma ordem do cérebro. Ainda bem que tais eventos não estão constantemente presentes em nossas vidas, pois desta forma chegaríamos ao estresse. Fobia vem de Fobos, palavra grega que deu nome a um dos um dos filhos de Ares (Marte) e Afrodite(Vênus), personagens da mitologia grega, e que faz parte dos Transtornos de Ansiedade. A fobia também é uma resposta do organismo, aprendido da mesma forma que o medo, só que é uma resposta disfuncional . Veja como se aprende: a mesma resposta que seu organismos apresenta diante de um perigo real,apresenta diante de uma evento que para a maioria das pessas é neutro.O coração dispara, o corpo treme, a boca fica seca, e tudo mais.  Durante seu desenolvimento ou por aprender com seus iguais, ou por um acontecimento traumático, você começa a parear. Se entra num elevador e é assalto, foi um evento real. Mas  se toda vez que você vir umelevador,  associar ao assaltante e passa mal, quer dizer que um elemento lembra o outro e você passa a subir só de escada, se com o passa do tempo você mantiver este padrão de resposta, você desenvolver uma fobia espacífica.E como saber se é medo ou fobia? Por exemplo, se você passar mal diante de um leão, é medo; se passar mal diante de uma borboleta, é fobia. O cérebro, através do seu Sistema Nervoso Autonômico (Simpático), coloca seu corpo em estado de prontidão, sempre preparado para o ataque ou para a fuga. Quero deixar calar, que nem todos que passam por eventos traumáticos, viram fóbicos. Tudo vai depender do organismo, do repertório comportamental e outros. E por que e necessário fazer tratamento para nos livrarmos das fobias? E importante pois a fobia faz parte do grupo de Transtorno de Ansiedade e, como todo Transtorno, desequilibra a existência, limitando o repertório comportamental pois o individuo vai deixando de se expor ao seu ambiente, perdendo entao a oportunidade de ser reforçada. Todos precisam entrar em contato com diversas situações e solicitações da vida e, vivendo em situação de esquiva, não se vai ao encontro destas solicitações. É importante diferenciar o que perigo e o que desagrado e, principalmente, desenvolver estratégias de enfrentamento diante de um ou outro evento.E como a fobia é considerada como um comortamento aprendido, você pode desenvolver formas mais adaptativas e criar o que se chama HABITUAÇÃO.

Autor:

MARIA DE LOURDES DA CUNHA SOLA PSICÓLOGA COMPORTAMENTAL E COGNITIVA ESPECIALISTA PELA USP - EXTENSÃO EM PSIQUIATRIA PELA ABP CRP: 06/46882-6 # Atendimento com hora marcada a adultos, adolescentes e orientação familiar. # Transtornos de Ansiedade como: Fobias, Pânico e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).Estresse,Estresse´Pós -Traumático. #Transtornos do Humor como: Depressão, Transtorno Bipolar e Distimia. # Transtornos de Personalidade. # Transtorno do Impulso como:Oniomania (compra compulsiva), Jogo compulsivo e Tricotilomania ( arrancar cabelos), Amor Patológico entre outros. #Transtornos Alimentares; Anorexia e Bulimia. # Atendendimento ao dependente químico, trabalhando com Prevenção de Recaídas e Relaxamento. # Orientação familiar às famílias de pacientes portadores de Esquizofrenia #Psicóloga e pedagoga, formada pela Universidade Católica de Santos (UniSantos), com especialização em Análise Comportamental e Cognitiva, pela Universidade de São Paulo (USP). # Membro do Núcleo de Análise do Comportamento de Santos e Região # Acompanhante Terapêutica na SENAT- Sessão Núcleo de Apoio ao Apoio ao Tóxicodependente da Prefeitura de Santos. # Supervisora de alunos de psicologia e profissionais recém formados # Psicóloga voluntária da ONG DIREITO A VIDA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s