Publicado em Uncategorized

Aspectos nocivos da Televisão


Publicado originalmente no site boaSAUDE – http://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/5266/-1/aspectos-nocivos-da-televisao.html

Artigos de saúde

Aspectos nocivos da Televisão

© Equipe Editorial Bibliomed

A televisão tem uma influência enorme sobre a forma com que as crianças vêem nosso mundo. Desde que nascem e até os 18 anos de idade, as crianças passam mais horas vendo televisão do que na escola. Entre os aspectos positivos de ver televisão está o de aprender sobre outros estilos de vida e outras culturas. Na atualidade, as crianças entram para a escola sabendo mais do que as crianças antes da era da TV. Além disto, a TV pode ser um bom professor, mas muitas crianças passam tempo demais vendo televisão e, portanto experimentam algumas das conseqüências negativas descritas abaixo.

Aspectos Nocivos da Televisão

1. A televisão toma o tempo de tipos ativos de recreação

O excesso de televisão acarreta na diminuição do tempo dedicado a brincar com outras crianças, para usar a imaginação e pensar, participar nos esportes, música, arte e para outras atividades que requerem prática por parte da criança para que possa adquirir habilidade nelas.

2. A televisão diminui o tempo disponível para conversação e troca de opiniões.

A TV reduz as interações sociais com a família e com os amigos.

3. A televisão reprime a propensão para a leitura

Para ler é necessário pensar muito mais do que para ver televisão. A leitura melhora o vocabulário de uma criança. A queda das notas em leitura pode estar relacionada com o tempo excessivo passado em frente ao televisor.

4. Passar tempo demais vendo televisão (mais de 4 horas por dia) decididamente diminui o rendimento escolar

Este excesso de televisão interfere no estudo, a leitura e o tempo para pensar. Se as crianças não dormem o necessário porque estão vendo televisão, no dia seguinte não estarão suficientemente atentas para poder aprender bem.

5. A televisão reduz a vontade de fazer exercícios

Um estilo de vida inativo resulta em má forma física. Se isto é acompanhado pelo consumo freqüente de sanduíches, o hábito exagerado de ver TV pode contribuir para a criação de problemas de aumento excessivo de peso corporal (obesidade).

6. A publicidade na televisão estimula a demanda de posses materiais.

As crianças pequenas pressionarão seus pais para que comprem para eles os brinquedos anunciados. A televisão apresenta o materialismo como “o estilo de vida norte-americano”.

7. A violência na televisão pode afetar a forma como uma criança pensa a respeito da vida e de outras pessoas.

O fato de observar violência excessiva pode fazer com que uma criança torne-se muito temerosa com relação à sua segurança pessoal e futuro. A violência na televisão pode embotar a compaixão que uma criança normalmente sente para com as vítimas. Após ver programas de violência, as crianças pequenas podem ser mais agressivas em suas brincadeiras. Mesmo que a violência na televisão não aumente o comportamento agressivo para com os outros entre as crianças, pode aumentar este comportamento em crianças perturbadas ou impulsivas.

Prevenindo o vício de ver TV

1. Estimule a recreação ativa

Ajude seu filho a se interessar por esportes, brincadeiras, passatempos e música. De vez em quando, desligue a televisão e saia a caminhar ou brinque com seu filho.

2. Leia para seus filhos

Comece a ler para seu filho a partir de 1 ano de idade e estimule-o a ler sozinho. Alguns pais permitem um tempo de TV ou vídeo games, equivalente ao que passam lendo. Ajude-os a melhorar suas aptidões para conversar, passando mais tempo conversando com seus filhos.

3. Limite o tempo de ver televisão a 2 horas ou menos por dia

Uma alternativa é limitar a televisão para 1 hora por noite durante a semana e 2 ou 3 horas por dia nos fins de semana. Permita-lhes mais tempo quando houver algum programa educativo especial.

4. Não use a televisão como distração ou como babá para crianças em idade pré-escolar.

A televisão para crianças em idade pré-escolar deve esta limitada a programas especiais produzidos para crianças pequenas. Como a diferença entre fantasia e realidade nesta idade ainda não é clara, os programas normais de TV podem provocar medo.

5. Se a criança apresentar mau desempenho escolar, limite o tempo de TV a meia hora por dia.

Estabeleça a regra de que a criança deve terminar primeiro o dever de casa e suas obrigações antes de ver TV. Se o programa favorito da criança for transmitido antes dela terminar o dever de casa, considere a hipótese de gravar o programa para que ele possa vê-lo mais tarde.

6. Estabeleça a hora de dormir sem que este seja alterado por algum programa de TV que interesse a seu filho.

As crianças que são autorizadas a ficar acordadas até tarde vendo televisão normalmente estão muito cansadas no dia seguinte para lembrar o que foi ensinado na escola. Não permita que seu filho tenha uma TV em seu quarto, porque isto limita o controle que tem sobre o tempo que ele passa vendo televisão.

7. Desligue a televisão durante as refeições.

O tempo da família é demasiado valioso para desperdiçá-lo com programas de televisão. Além disto, não use a TV como música de fundo em sua casa. Se não gosta de casa silenciosa, tente escutar música instrumental.

8. Ensine seu filho a escolher com discernimento os programas

Ligue a televisão apenas para ver programas específicos. Não a ligue ao acaso para buscar algum programa interessante. Ensine seu filho a consultar o guia de programação antes de ligar a televisão.

9. Ensine a seu filho a desligar a televisão quando terminar um programa

Se a televisão permanecer ligada, seu filho provavelmente se interessará pelo programa seguinte e então será mais difícil desligar a televisão.

10. Estimule seu filho a ver programas educativos ou que ensinem valores humanos

Estimule-o para que veja documentários ou dramas reais. Use os programas a respeito do amor, o sexo, as disputas familiares, o alcoolismo e as drogas como forma de iniciar as discussões familiares sobre estes temas difíceis.

11. Proíba os programas violentos

Isto significa que deve saber o que seu filho esteja vendo e deve desligar a televisão se achar que o programa não for bom. Faça listas de programas que são adequados para que as crianças pequenas e as maiores vejam. Torne as crianças mais velhas responsáveis por retirar as menores do quarto, quando forem ver programas inadequados para menores. Se isto não for cumprido, desligue a TV. A disponibilidade de televisão a cabo e dos videocassetes permite que qualquer criança, de qualquer idade, tenha acesso às versões sem cortes dos filmes para adultos. Muitas crianças menores de 13 anos chegam a ter temores durante o dia e pesadelos à noite, porque viram estes filmes.

12. Caso permita que seu filho veja programas que mostram violência, fale com ele sobre as conseqüências desta.

Ensine a ele a forma como a violência prejudica a vítima e a família da vítima. Se seu filho está perturbado por um programa visto, certifique-se de conversar com ele a respeito.

13. Discuta os anúncios publicitários com seus filhos

Ajude-os a identificar os anúncios com alto grau de pressão para impulsionar vendas e as afirmações exageradas. Se seu filho quiser um brinquedo baseado em um personagem da televisão, pergunte como ele vai utilizar o brinquedo em casa (a resposta provavelmente o convencerá que o brinquedo servirá apenas para aumentar a coleção e não para brincar).

14. Explique as diferenças entre a realidade e a fantasia

Este tipo de classificação pode ajudar seu filho a desfrutar de um programa e contudo, compreender que o que está acontecendo na TV, pode não acontecer na vida real.

15. Dê exemplo

Se você passa muito tempo diante da TV, pode estar certo de que seu filho fará o mesmo. Além disto, o tipo de programa que vê transmite uma mensagem muito clara a seu filho.

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc.

Autor:

MARIA DE LOURDES DA CUNHA SOLA PSICÓLOGA COMPORTAMENTAL E COGNITIVA ESPECIALISTA PELA USP - EXTENSÃO EM PSIQUIATRIA PELA ABP CRP: 06/46882-6 # Atendimento com hora marcada a adultos, adolescentes e orientação familiar. # Transtornos de Ansiedade como: Fobias, Pânico e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).Estresse,Estresse´Pós -Traumático. #Transtornos do Humor como: Depressão, Transtorno Bipolar e Distimia. # Transtornos de Personalidade. # Transtorno do Impulso como:Oniomania (compra compulsiva), Jogo compulsivo e Tricotilomania ( arrancar cabelos), Amor Patológico entre outros. #Transtornos Alimentares; Anorexia e Bulimia. # Atendendimento ao dependente químico, trabalhando com Prevenção de Recaídas e Relaxamento. # Orientação familiar às famílias de pacientes portadores de Esquizofrenia #Psicóloga e pedagoga, formada pela Universidade Católica de Santos (UniSantos), com especialização em Análise Comportamental e Cognitiva, pela Universidade de São Paulo (USP). # Membro do Núcleo de Análise do Comportamento de Santos e Região # Acompanhante Terapêutica na SENAT- Sessão Núcleo de Apoio ao Apoio ao Tóxicodependente da Prefeitura de Santos. # Supervisora de alunos de psicologia e profissionais recém formados # Psicóloga voluntária da ONG DIREITO A VIDA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s